Páginas

sexta-feira, setembro 24, 2010

Palpites a Paulo Garcia

Palpites a Paulo Garcia

Prefeito Paulo Garcia, de Goiânia



Nos treinamentos profissionais, lá pelos idos de 1960 e 1970, circulava uma tal Mensagem a Garcia – em síntese, um modo de estimular os trabalhadores a cumprir uma tarefa sem fazer perguntas. Mensagem a Garcia... Pego carona no tema e ofereço palpites a Garcia; não ao da lenda cubana, mas ao prefeito de Goiânia, o médico petista Paulo Garcia. É que, em companhia de alguns amigos músicos (Luiz Augusto, Amauri Garcia, Luiz Chafin, Maria  Eugênia e Tom Chris), visitei-o no início desta semana. Motivo? Sugerir e pedir.

Amauri e Luiz Augusto

 Maria Eugênia e Luiz Chafin

Tom Chris 


As nossas sugestões foram bem acolhidas; aliás, nem eram necessárias: o prefeito tem perfeito conceito de pessoas e de fatos, acompanha de perto todas as atividades de seu governo (o que faz muito bem desde janeiro de 2009, quando foi empossado vice-prefeito). Empolgado com as realizações da Secretaria Municipal de Cultura, sob a batuta de Kleber Adorno, foi dele, Paulo Garcia, o pontapé inicial para que acontecesse a Revirada Cultural (imagino ser o maior evento dessa natureza no país: mais de mil e duzentas apresentações artísticas por toda a cidade, ao longo de um mês inteiro!).

Doracino Naves, Marley Costa Leite e Kléber Adorno (secretárioda Cultura), responsáveis diretos pela I Revirada Culturalde Goiânia


Fizemos “comícios poéticos”, como na década de 1980; publicamos uma antologia sob o tema “Chuva de Poesia”, novamente evocando aquela década; cantores, instrumentistas, bailarinos, artistas plásticos, a orquestra sinfônica... enfim, todo o universo das artes da cidade abalou-se para realizar a Revirada Cultural. Por isso, juntamo-nos na esquina, comentamos o evento (longe de fazermos um real balanço das atividades) e decidimos:

– Vamos lá pedir ao prefeito que perpetue essa iniciativa!

Fomos recebidos carinhosamente, conversamos por alguns minutos, antes de chegarmos ao propósito da visita, falamos de famílias goianas (Paulo Garcia tem, no nome e no DNA, Siqueira – de raiz pirenopolina) e do prédio de sua família (construção de seu avô) que foi sede do Banco do Estado de Goiás, antes da construção que sediou, nos anos de 1940, o pioneiro Bar Marabá e, na década de 1960, a Casa Garcia – a primeira loja de departamentos da cidade, propriedade de seu pai.


Choro na calça do Grande Hotel: a alma da Lapa carioca no centro histórico de Goiânia


Chorinho na calçada do Grande Hotel! Ao agradecer-lhe pela retomada do programa das sextas-feiras, memorizo histórias daquele quarteirão. Ele mostra fotos antigas do prédio, aquele na Avenida Goiás, 516 (ao lado do Banco Itaú, que já foi BEG).

O chorinho vai continar! A Revirada Cultural propõe-se a ser marco permanente no calendário turístico-cultural da cidade; a Prefeitura deverá estimular o surgimento de casas de lanches, de chá, de restaurantes pelo centro, valorizando a Avenida Goiás.

E aí dou alguns palpites mais: lembro-lhe que o antigo Edifício BEG é hoje um amontoado de andares vazios, tal como outras grandes edificações do Centro. Arquitetos e urbanistas, artistas, políticos, sindicalistas e um número sem-fim de goianienses querem ver o Centro da Cidade novamente ativo, nas noites. Que tal estudar a ocupação desses edifícios, talvez como moradia para estudantes e trabalhadores solitários ou pequenas famílias?

O Edifício do extinto BEG: Pelo menos oito 
andares totalmente ociosos!

Há muito a se fazer, e trata-se de um “muito-a-fazer” prazeroso, pois que há de resultar na restauração da vida noturna no Centro, de modo saudável, capaz de mobilizar famílias para a frequência de lazer e produção de ocupação e renda, resguardando-se, obviamente, a qualidade dessas atividades. Oferecemo-nos, naturalmente, para participar desses esforços, estudos e sugestões. Afinal, é a nossa cidade, é a nossa vida!

E por falar em “nossa cidade”, um tanto voltado para o próprio umbigo, deixo aqui um duplo carinho à vereadora Célia Valadão: ela, que é cantora e bem nos representa na Câmara Municipal, presenteou-me com a proposta do título de cidadão honorário, daí o meu agradecimento mais afetuoso; e como aniversaria neste domingo, 26 de setembro, deixo-lhe meu abraço, Célia! Que as bênçãos do Cristo iluminem toda a sua família e sua arte! Farei tudo para estar na Santa Missa da Igreja Matriz de Campinas, às dez horas deste domingo, para cumprimentá-la por mais um ano de vida produtiva e feliz!


* * *


Luiz de Aquino (poetaluizdeaquino@gmail.com) é membro da Academia Goiana de Letras. 







4 comentários:

Anônimo disse...

Pô... tô emocionada... é a primeira vez que recebo os créditos pela revirada...

(Marley)

LiLa BoNi disse...

Sempre é bom estar por aqui!!! Adoro!!!Mil beijos !!!!!

Maria Luiza de Carvalho disse...

Parabéns poeta!
Nós agradecemos esta iniciativa....
Estarei lá para conferir...
Beijão..
Maria Luiza de Carvalho

Mara Narciso disse...

Somos educados para a modéstia, para ocultar honras. Ficando contente com as homenagens,por que não divulgá-las? Quem gosta de você ficará feliz, e os invejosos terão ainda mais motivo para se roerem de ciúmes.