Páginas

segunda-feira, março 02, 2009

Tatuagem

Tatuagem (*)

 

Luiz de Aquino 


Meu poema é prece em pele


que se eriça, me atiça, enfeitiça. 


Brota leve e lento


e cresce crespo, selvagem


e doce, dócil, digitado 


feito flor, fácil e tátil:


 

− É que te amo!


(*) Do meu livro Poemas de amor e Terra - Coleção Goiânia em Prosa e Verso, 2007.

13 comentários:

Mara Narciso disse...

O poema tem uma cadência tão gostosa, que merece ser musicado.Mostre a um compositor/a, e tenho certeza, que ele/a, vendo os seus versos, não resistirá.

Efigênia Coutinho disse...

Desire to leave express my admiration
to the beautiful work of this Blog,
yours truly,

Efigênia Coutinho
BRAZIL
http://efigeniacoutinhopoesiascomimagens.blogspot.com/

Márcia disse...

Parabéns pelas visitas..você merece! E doce sua poesia..faço minhas as palavras da Mara arciso.

Anônimo disse...

Se sou a 45.001, ou 45.002, ou 45.003 a lhe visitar não importa. Importa que estive aqui, li e gostei. Abraço.

Neusinha Gedoz disse...

Linda poesia e linda a marca dos 45 mil. Parabéns.

Abraço. Neusinha.

Eliane Malpighi Fernandes disse...

parabens, Luiz! que o dobro se repita em tempo menor ainda. vc merece!

Simone Araújo disse...

Parabéns Luiz,pela sua poesia. É muito bonita e de boa qualidade e principalmente entra em nós fácilmente sem palavras rebuscadas, pretensiosas de pseudo intelectualoide. Gostei muito mesmo. Um abraço

Simone

Marluzis disse...

Imprimiu 45.000 feito tatuagem.

FELICIDADE SEMPRE POR PERTO disse...

Poeta lindo e poderoso no uso ds palavras ideais,precisas ,certas,volumosas,poderosas, penetrantes e tantas outras coisas!
Pelo numero de visitas,parabéns!
Ao Poeta,que continue assim mesmo: manso,bravo,cuidoso,detalhista...afinal: o meu poeta!

Irinéa Maria disse...

Ah! meu poeta....
como é bom te ler, sempre!
Sucesso. Vc é sucesso.

Leda(ê) Selma de Alencar disse...

Gosto muito da poesia (e também da prosa) do Luiz de Aquino. Poesia forte, máscula, de amor total: amor-pele, amor-alma, amor com todos os seus contrastes e polaridades, com todas as suas inquietudes interpondo-se entre calmarias e desassossegos. Poesia é isso: densidade, fundeza, abissos e transcendência.

Sua formatação e a música a embalar o poema, Helen Nice, realmente, toca-nos longe, profundamente e nos embala também. Mais uma vez, querida poetisa dos versos de tantos poetas, parabéns, e que sua sensibilidade continue construindo momentos de tamanha beleza. Beijão. Lêda

Anônimo disse...

Belo!...Lí e relí. Seus livros e poemas tem um doce sabor de quero mais!...Ireci Maria.

Magno Rocha disse...

Acredito termos algumas semelhanças à pena; gosto muito de escrever.

Estarei acompanhando este espaço recém-decoberto.

Parabéns pelo trabalho!


Magno

P.S.: Tenho um blog cultural (Selva Brasil):

http://selvabrasil.blogspot.com