Páginas

segunda-feira, novembro 30, 2009

VIDA

O poeta Francisco Perna pinçou esse meu poema do portal de poesia de Antônio Miranda, poeta também, e buscou no Orkut do poeta e fotógrafo Sinédio Dioliveira a fotogratia do sanhaço para ilustrar...

Ah, só sei que fiquei muito feliz!

Luiz




Luiz de Aquino




Luiz de Aquino Alves Neto nasceu em Goiás, em 1945. Estudou no Rio de Janeiro e em Goiânia, onde reside. Graduado em Geografia pela Universidade Católica de Goiás. Poeta, contista, cronista, é autor de muitos livros. Membro da União Brasileira de Escritores, da Academia Goiana de Letras e do Sindicato de Escritores do Rio de Janeiro.



VIDA




A força da corda

não força a sorte

nem corta o cachaço.


Na força da corda

o corte da forca

não solta o sanhaço.


Na lida e no eito

a liça e o feito

enfeitam o que faço.


No peito, o cio,

a vida no fio

que escorre frio

e morre no leito.




In. Antônio Miranda

Foto by Sinésio Dioliveira - Poeta - Todos os Direitos reservados.

8 comentários:

Lílian Maial disse...

É um belíssimo poema, com uma ilustração á altura!
Sou sua fã, vc sabe.
Beijocas,
Maial

Wanda disse...

Muito lindo, poeta...
Como tudo o que você escreve!
E com passarinho então deu aquele toque... Faz bem para os olhos e coração.
Beijos.

Beth Abreu disse...

Ah! Que belo o poema Aquino.

Beijos.

Namastê.

Beth

Conceição disse...

Poeta, voce é perfeito!
Poema e ilustração tão bem casadas
Parabens sempre

bjos

Ceição Bentes

Irinéa Maria disse...

Uma delicadeza no manusear das palavras,característica dos poetas elegantes!
Muito bom ter passado aqui, e ter tido esse presente de bom dia!
bjs

sidioli disse...

Aquino, o sanhaço que ilustra seu poema, flagrei-o cantando despreocupadamente, como você pode notar em seu bico aberto. Fiquei muito honrado em ter uma foto minha ao lado de um poema seu.

Anônimo disse...

Grande Poeta!...Belo, maravilhoso! Seu blogger, cada dia mais encantador, como tudo que vc escreve!...Ireci Maria.

Mariana Galizi disse...

Que linda tua redondilha, quando crescer quero ser um bocadin assim...
beijo