Páginas

terça-feira, novembro 24, 2009

Vide!

Luiz de Aquino

Uvas densas, tenras,
sumo rico
a buscar solo fértil.

Cheiro da terra
úmida, agridoce,
fonte de vinho e mel.

Galhos de videira: mãos.
Caule: falo ávido de chão
promessa de flor e fruto.

Primavera! Momento nosso
de parir em versos
o gozo das vides.




Do livro De amor e pele, a sair brevemente pela Coleção Verso e

Prosa, da Secretaria Municipal de Cultura (de Goiânia).

12 comentários:

www.wanda.blogger.com.br disse...

Que lindo!!
Começar o dia assim é um privilégio.

Beijo!

Flávia disse...

Belíssimo!!!

Mariana Galizi disse...

Luiz, meu amigo, poeta, querido; adorei.
Bom ver seus talentos destilados em versos.
Espero poder ir no lançamento deste.
Abraços

Sandra Falcone disse...

Belissimo, sensual... gostei demais.

carinho da amiga de sempre

Jane Botti disse...

Hummmmmmmm!!!!! Que delícia de versos! Me deu água na boca....beijos

Fotosonhos disse...

Tao doce e florida que sinto o cheiro quando leio... e da vontadade de beber vinho tambem :)
Parabens,`e linda!!!
Bjs
Claudia

Liene disse...

Desde o cultivar até a degustação o vinho sugere rituais.

Um grande abraço

si_monefs disse...

Lindíssimo poeta, aliás como tudo que escreve.
Quero lhe dizer que ler tudo que escreve, seja em poemas ou cronicas é sempre muito enriquecedor para nosso vocabulário, nossa alma e nossa vida.
Obrigada por nos deixar cada dia melhores.
Beijos!!!!!!!!!

Simone Arantes disse...

Que lindo o poema que colocou no seu blog poeta!
Amei! Seus poemas são presentes para nossa vida.
Abraços.

Luiz de Aquino disse...

Gente, fico feliz com seus comentários. Procurarei expor mais poemas e cuidar para que sejam melhores.

Beijos mil.

fereven2 disse...

Amigo Luiz... La poesía brota de tu Ángel poeta...Y cuando escribes, la savia de las letras mana en dulces mieles, a ser saboreadas por los lectores.. Un gran abrazo... Poeta César

Mara Narciso disse...

Forte e gostoso como uva e como sexo. O caule ávido foi muito vivo e intenso. Gostei muito!