Páginas

quarta-feira, junho 28, 2006

Estação das águas

Quando as nuvens voltarem,
cuidem para que o céu se proteja
e um espaço miúdo se conserve
para eu ver a Lua.

Talvez uma estrela
imprevisível
transluza suave e me traga recados
impensados.

Quando essas nuvens voltarem assim,
na Lua cheia,
deixem que eu abra meus olhos
apesar dos castigos.
Eu tenho uma leve tendência
para ser feliz
em noites de Lua,
tão poucas nos tempos de chuva!

Deixem-me descobrir
novos cantos
num clarão de Lua,
por mais efêmero.


Mesmo quando as nuvens voltarem.

11 comentários:

LiLi disse...

Quizera eu ser como a LUA, que ilumina as noites, encanta os enamorados e por muitas vezes é motivo de poesias.
Beijo no coração

Saramar disse...

Luiz, espero que as nuvens nunca voltem e que essa leve tendência se transforme em certeza.

Beijos

Cida Sousa disse...

Lindo poema, Luiz.
Quanto tempo eu nao lia poemas seus...
beijos

Nane Lemos disse...

Amo olhar o céu, as nuvens , as estrelas e tudo que por ele passa, então o que escreveu é simplesmente a minha cara. Bj grande e muita inspiração sempre!!!

Luciano Gonzaga Peres disse...

As imagens são claras, nítidas e se percebe muito bem o anseio do eu-poemático imerso nisso tudo... Que luzidez poética. Bom escritor, bom poema...Um abraço...

Anônimo disse...

Olá Luiz, por mais uma vêz, e com muito carinho, aqui estou no seu espaço virtual.
Luiz, imagino que em um dia qualquer o grande criador do universo, descerrou as portas do céu e...Enviou á terra os bons poetas, enviou-os com a missão de
colorir por meio das palavras o nosso tão violento,e conturbado planeta, e com certeza vocês aqui estão...Fazendo com suas poesias
uma linda "Aquarela"; e eu, enquanto sua leitora e fã, só devo pegar carona nas asas de suas poesias, e deixar que elas me levem
através de fascinantes, ousados, e secretos caminhos, os quais com certeza...Só existem , nos corações, e almas dos poetas. E assim sendo, eu pego carona nas suas poesias e deito nas nuvens, caminho na lua, brinco de pula, pula nas estrêlas, rolo, caminho, e sonho embalada por elas.Ah poeta!
A minha tendência é ser feliz em dia nublado, e dia de céu claro!
Beijos. L.G.F

Herondes Cezar disse...

Como é bom ler, Luiz, seus versos da maturidade! Poete sempre, amigo, que seu ofício é poetar. E nós somos felizes por ter acesso a essas visões luminosas que você nos propicia. Grande abraço

Carlos Veiga disse...

Temos luas nos olhar
Não para nós, mas para quem procurar por luas sedentas de outras.


Abraços!

Marluci Costa disse...

Luiz, poeta querido, continue trazendo esses elementos da natureza: céu, nuvem, chuva, lua, estrela... e reunindo-os do jeito que só você sabe, numa poesia que nos faz levitar.
Adoro esse poema! É lindo demais!

Maria disse...

Amada lua,você foi retratada da forma mais bela .Sabe justamente hoje precisava deste encantamento.Sou uma eterna apaixonda que abre a janela sempre para te encontrar e mesmo quando você não está com seu corpo inteiro, você já é verdadeiramente encantadora.Assim neste momento a ler este belo poema , parece que estou vendo a lua mesmo sem que ela esteja no céu agora...VOCÊ ME FEZ FAZER ESTA VIAGEM.beijos de luz

Luiz de Aquino disse...

Obrigado, Maria!

Beijos.