Páginas

sábado, junho 10, 2006

Ao som dos sinos

Manhã de sábado, 3 de junho, em aeronave com “orgulho de ser brasileira”; a moça de óculos escuros pede para ficar separada, tem conjuntivite. A aeromoça chama o comandante, que determina o desembarque, a moça recusa, ele chama a polícia civil. Muitos minutos depois chega um homem grisalho, de terno e um código de aviação civil nas mãos. Conversa-se, o vôo atrasa. A moça desembarca constrangida, a contragosto. Três médicos a bordo entendem ser desnecessário o desembarque (um deles até assina um atestado), mas a moça desiste.

Goiânia, Congonhas e, por fim, Santos-Dumont, Rio. Encontro-me com os amigos de uma comunidade Orkut “Chega de abobrinha”. Tempo pouco, converso, tomo dois chopes, saio feliz pelo encontro. Começa, já, a noite. Há o Baile da Saudade (Ancelmo Góis escreveu em O Globo: Vovô quer dançar). O maestro é Sérgio Norberto, que, há umas poucas décadas, já animava nossos bailes. Vovós e Vovôs, no caso, éramos nós, cinqüentões e sessentões ex-alunos do imperial Colégio Pedro II, do Rio de Janeiro.

O piloto nos conta, quarenta minutos de vôo após, que a moça com conjuntivite fora assistida, em terra, pela infra-estrutura da empresa e que embarcaria, com os cuidados específicos, em outra aeronave e que não houve arbítrio e, sim, zelo para com a saúde dos passageiros. Eu, nas minhas limitações, indaguei entre os vizinhos de vôo (incluindo-se o casal de médicos de Joinvile): será que teremos de mostrar atestados, provando não termos conjuntivite, dermatites ou DST? Um passageiro na minha fileira confessa: “Estou com conjuntivite também, mas quando vi o caso preferi ficar calado”.

Retorno a Goiânia justo no tempo em que os “sem terra” invadem a Câmara, vingando a absolvição dos quarenta ali-babás. Na noite de quarta-feira, Miguel Jorge, “tia Fatinha”, David Isaías, Helena Sebba e eu recebemos, da Universidade Estadual de Goiás, em Inhumas, o belo Troféu Sophia. Helena Sebba lançou seu novo livro, "A turminha dos sete e a terra da imaginação". Cinco professoras mestras da UEG falam de literatura infantil e eu me indago: existe?

Claro, existe. Literatura infantil é a que se faz para crianças. Mas quem de nós deixa de ser menino? Saint-Exupéry não fez “O pequeno príncipe” só para os pequeninos, mas a garotada adorou o livro. Então, será algo escrito por crianças? Ah, sim, acredito! Escritores são crianças grandes que inventam coisas; são mentirosos sem o risco dos castigos e do pecado. E ainda nos dão prêmios...

A semana quase que se acaba. Restava a eleição na Academia Goiana de Letras. Resultado esperado, fui voto vencido e isso merece outro texto. Ficou, na noite de quinta-feira, a alegria do encontro com a professora Augusta Santana. A essência da escrita tem algo de mágico e implica coragem, a coragem simples de se expressar com lealdade. Escribas não podem, nem devem − jamais − conceder como legítimo não soa sincero: os sinos não produzem ruídos mas, sim, a plangência nobre do altivo cobre.

Esvaem-se os dias, e arremato o período neste sábado, 10 de junho, nos ares claros da manhã solene: minha sobrinha Alessandra e seu eleito Gustavo decidiram juntar suas vidas para o futuro e pedem a Unção de Deus. E nós, da geração dos pais e avós, reverenciamos a decisão em preces.

21 comentários:

Pollyanna Letícia disse...

Cada vez mais linda suas poesias... Q Deus o abencoe sempre !! Beijos

Marianne Maier disse...

Que honra poder cortar a fita .
Belo espaço.
Parabéns pelo Sofia
parabéns pela narrativa gostosa , como a tempo eu não lia ...
fiquei com saudades , não sei bem do que , mas hei de descobri-lo .. talvez até do meu cantinho , ja quase esquecido ...
Beijos , meu poeta !!

Deolinda disse...

Ah, fico feliz que está dando certo e mais ainda de saber que vai escrever muito aqui!
Bem vindo ao time do blogueiros!

Saramar disse...

Bem vindo, Poeta, à blogosfera.

"Quem de nós deixa de ser menino" é realmente a essência de quem se aventura na beleza das palavras. nem todos, porém chegam à excelência como você.

Beijos e bom domingo.

Lílian Maial disse...

Querido Aquino, das linhas inconformadas e das saudades barrocas, camufladas de modernidade. É um imenso prazer inaugurar seu blog com meu beijo.
Sua leitora contumaz,
Lílian Maial

Marluci disse...

Não fui premiada com o talento da escrita, mas agradeço a Deus por ter a oportunidade de conhecer e olhos para ler textos e poemas tão magníficos quanto os seus. E, agora, mais esse canal para interagirmos e acompanharmos suas crônicas, suas obras em geral. Também queremos acompanhar seus eventos. Conte-nos, aqui, tudo que se passa à sua volta. Seus prêmios, suas homenagens, suas viagens. Queremos um diário de bordo da nau “Luiz de Aquino”.
Um beijo carinhoso

martha nascimento disse...

querido Luiz,

sinto-me honrada de poder participar com um singelo comentario sobre voce e seus poemas. Vejo-o como um homem irreverente, destemido, humano , um grande poeta que luta desbravando as barreiras do protecionismo ,enfrentado `a duras penas, o poder mostrar a nos leitores, o prazer de uma boa literatura.Mas voce e um guerreiro vencedor. Deixo expresso aqui a minha admiracao, pelo homem , pelo poeta, e o orgulho de ser sua amiga.

Anônimo disse...

Querido primo
Está aprovado o seu blog. Otimo.
Obrigado pelo envio das fotos.
Da proxima vez que vier ao Rio, avise para a gente almoçar.

Abraços

Andre

zulmajaime@gmail.com disse...

AMIGUINHO... PARABÉNS PELO BLOGGER! GOSTEI DAS CRÔNICAS , ENTRETANTO TENHO ALGUMAS RESSALVAS: QUANDO, EM RELAÇÃO À ABL, VC AFIRMA "A NÓS Q NÃO SOMOS MEMBROS, NÃO NOS CABE CRITICÁ-LA" EU DISCORDO...O JOVEM ENGENHEIRO ESTÁ CERTO!...TEMOS QUE QUESTIONAR OS CRITÉRIOS PARA TER ACESSO A ELA E ESSES TÊM QUE SER PELA COMPETÊNCIA E NÃO POLÍTICOS...AH! ESPERO QUE A AUGUSTA FLEURY FIQUE COM A CADEIRA DA AGL! (DESCULPE A MINHA IGNORÂNCIA, MAS QUEM É ANA BRAGA? SÓ CONHEÇO O LOURO JOSÉ... RSRSRSR!!!)UM ABRAÇO FRATERNO, MEU QUERIDO.
ZULMA JAIME.

lopes nadia disse...

parabens pelo blogger,ficou tudo de bom,,que vc continue escrever belas cronicas e poesias.bjus

Regina Viana disse...

Luiz está muito bonita sua página, quanto ao texto, sem comentários. Parabéns, ficou mais atraente pra ler suas crônicas. Bjo grande, Regina Viana

Maris Stella disse...

Luís.
Perceber o cotidiano através da sua fluência agradável é muito gratificante.
Merecidamente,o Troféu Sophia é seu,poeta. Parabéns!
Belo o seu espaço,virei sempre!
Grande beijo.

Anônimo disse...

oi

Vera Silvia disse...

Oi, Lu...gostei, achei a idéia ótima e o blog está de muito bom gosto. Beijos, Vera

Anônimo disse...

Poeta Luiz de Aquino, você está a cada dia que passa, ou a cada escrita sua, muito melhor, para o seu e o nosso deleite e prazer, pois é sempre agradável ler crônicas e poesias bem escritas; e você Luiz é só talento e garra.
Parabéns, o blog ficou belo!
Boa semana, e muita energia positiva para você!

Anônimo disse...

Luiz, parabéns pelo prêmio, e pelo
blog. " Pena & poesia"? Voltarei aqui sempre.
Beijos, e que Deus continue te iluminando sempre!

LG.

Marluci disse...

Beijo Sonhado - Que presentão para os enamorados desse "Dia dos Namorados". !!!!

martha nascimento disse...

Luiz, de madrugada perdi o sono e vim ler suas poesias,fiquei um tempao tirando proveito delas, aprendendo com voce.Depois olhei sua foto, voce esta mais bonito agora ;-)seria a beleza das poesias que te fizeram bem? Um beijo martha nascimento

HELENA disse...

Hoje pensei:
-Preciso colocar o Poeta em dia!
Hi, hi, vinha adiando por puro ciúmes, daqueles que são citados... Boba eu! Pra compensar, vim cá atrás, vendo coisas novas, por conta de uma nova arrumação, relendo o que já vi. Sabe, na prosa você diz bonito coisas que me soam familiares, de uma forma que jamais eu conseguiria expressar. No verso, não, é sempre surpreendente, no conteúdo e na maneira de dizer, tanto que não sei sobre eles falar, só sentir.
É, muitos dos meus sábados chuvosos parecem iguais a este. Outras águas cairão, agora com mais este charme, e depois da estação das águas...
Pode parecer longe o seu planalto central, mas vizinha, bem próxima está a mesma indignação de cada brasileiro para os maus hábitos do tal tempo do arbítrio. Mas tenho uma esperança maior, as árvores e flores já estão chegando.
Acho que é igual este nosso sentimento, aquele que lhe ufana sob o céu do Planalto do Cerrado, e a mim, sob às bénçãos do Cristo Redentor.
kkk, era assim que éramos crianças...
Claro, há textos com coisitas bem particulares à sua Goiania, ditas de uma maneira que se fosse você candidato e nós eleitores, já teria cativado nosso voto.
Pra terminar este "capítulo" quero confessar que sinto orgulho de te-lo como amigo...
Até mês que vem, rs rs rs

Rosi disse...

Luiz,
Comecei a escrever,
escrever e resolvi mandar este texto para você.
Mandei por e-mail também para a Marluci.

Um abração.

Quero um homem de coragem...
Coragem para andar de mãos dadas. Comer chocolate, algodão doce na rua.
Coragem para comer crepe de chocolate e se lambusar.
Coragem para chupar manga, sorvete.
Comer um pedação de melancia...

Quero um homem de coragem...
Coragem para admitir que sente minha falta. Me convidar para sair.
Coragem para admitir que "SIM EU QUERO NAMORAR CONTIGO!"
Coragem para ter um filho, dois filhos ou nenhum.
Coragem para admitir que não consegue viver só e admitir que isto é CARÊNCIA.
Coragem para aceitar que EU não quero viver só e que isto é CARÊNCIA também, mas que isto não me torna inferior...

Quero um homem de coragem...
Coragem para chorar ao assistir um filme.
Coragem para ir ao teatro ver uma peça e sair sem entender xongas, e ainda
assim rir...
Coragem para ir a uma exposição olhar, olhar e olhar os quadros e escultura e exclamar baixinho: não entendi nada. E não sentir vergonha por isso.

Quero um homem de coragem...
Coragem para ter um emprego melhor que o meu ou não.
Coragem para ter um emprego pior que o meu ou não.
Coragem para ter o mesmo salário que eu ou não.
Coragem para ter um salário menor que o meu.

Quero um homem de coragem...
Coragem de rir, de chorar, de contar piadas e quando não souber, simplesmente ler piadas...
Coragem para rir de si mesmo.
Coragem para casar ou não.

Quero um homem que me aceite como uma mulher de coragem.
Coragem para lutar sozinha, mas também que tenho coragem para admitir que não quero ficar só!

Quero um homem de coragem para aceitar minha coragem e a dele mesmo!

Rosimar

Wanda disse...

Que bonito!
E ainda cita minha querida amiga, Helena Sebba, de Inhumas, cidade em que morei por 5 anos e fiz boas amizades.
Beijo.
Wanda