Páginas

sábado, outubro 14, 2006

Ao céu de tarde e estrelas

.

Qualquer hora, quando vir teus olhos, ah!,
vou me deliciar de te ouvir
e tomar tuas mãos.


Viajarei em mim a te render
loas de sol e sereno
e beijar um céu de estrelas nossas.


Vamos selecionar lugares
em ar de zen
para encontros de amor.


Haverá boa música. E boa conversa
e boas mãos de carinho e lábios
de lamber e contar.



E língua de sussurrar confidências

e fazer beijos muitos,
safados e úmidos.


Ah!, estrela de mim
e do Trópico! Eu te quero
e vou beijar teus pés.

13 comentários:

Marluci disse...

Uma declaração de amor, talvez não a uma única mulher, mas a todas àquelas que queiram sentir a beleza de um amor lhe invadir.

Luiz, essa é sua missão: fazer-nos felizes com sua poesia e todo amor que dela emana. Você cria a necessidade de nos sentirmos única, amada e rainha.
E assim eu amo cada verso, cada palavra, cada ...

Fátima disse...

Discordo do comentário acima.
Acho q o soneto tem endereço certo: uma única mulher.

Podemos ficar felizes com a poesia e o amor que ela emana, porém, acredito q esta amada e raínha existe, e é prá ela q o poeta escreve.

Louvo um homem que cultua o amor de uma mulher. Com certeza deve estar sendo compensado, veja q ele verseja para esta musa há algum tempo.

Poeta, acho q acertei na mosca, concorda? rs

Beijos da

Fátima

Luiz de Aquino disse...

Fátima,

Não, não concordo. O homem cultua, sim, o amor de uma mulher, mas o poeta não escreve para uma mulher. Escreve, sim, para as mulheres e os homens. Acredito, sem falsa modéstia, que muitos homens servem-se da minha poesia para homenagear suas mulheres, e vice-versa.

Obrigado, Fátima, seu engano, portanto, só diz respeito à diferenciação entre o amor e a posia; de que valeria a poesia voltada tão-somente para duas pessoas, apenas? Toda arte há de ser universal.

Um beijo!

Luiz

Lu Colossi disse...

Gostei dos comentários, e acredito haver as duas possibilidades, escrever para uma ou no geral, o importante e que se escreva assim, diferente, um amor com sabor novo.
O Henfil além de beijar esse pé o lamberia também, era a sua paixão.
Belo poema Luiz!
Beijo meu,
Lu

Leila disse...

Meu amigo Poeta Preferido,é de dar aquela parada na respiração..rs
Lindo!
Leila

Gr@ciene disse...

E qual è a mulher que nao gostaria que esses versos se referissem a ela?
Eu digo: Sao pra mim.....rs.rs.rs...
E no meu enorme egoismo sonho mesmo um homem que seja assim poeta e romantico e que seja todo pra mim.

Fátima Paraguassú disse...

Eu acho que, quando um poeta escreve ele não vê um rosto à sua frente, ele apenas passa para o papel: emoções, anseios, esperança, ilusão... A partir do momento em que ele dá a luz a um poema, ele entrega este aos leitores, não é mais seu e,cada leitor degusta e absorve ao seu modo.

Maris Stella disse...

Luiz
Um muito esperado encontro de amor é preparado, cuidadosamente.
Solidão a dois, aconchego, boa música,confidências,carinhos,beijos constroem um perfeito ninho de amor que é o que mais necessitam e anseiam os amantes no momento em que ele decididamente, se declara à amada.
Poeta querido, belo demais!
Parabéns!
Grande beijo!

Anônimo disse...

Não existe uma pessoa (mulher ou homem) que não se sinta engrandecido depois de uma declaração de amor.E "Ao céu de tarde e estrelas" é uma dessas que nos engrandece.
Obrigada Luiz você é demais. Um beijo.
Eva

Anônimo disse...

"Ao céu de tarde e estrelas"?
Declaração de amor a
uma única mulher? Talvez seja
mesmo.Só sei que as poesias do
Luiz são belas, sensuais,quentes
e erotizantes. Em cada verso ele
leva qualquer mulher a sonhar que
é a única amada e musa inspiradora do poeta.Mas,"sonhos, sonhos são",
portanto, cada uma pega sua parte
e vamos sonhar e lambuzar nos belos
versos do poeta.

Parabéns Luiz de Aquino!!
A poesia é divinamente bela. e é essa a verdadeira função do poeta,
levar as mulheres a se sentirem rainhas. E os homens,ah os homens!
Os homesns que peguem suas poesias, versos e palavras para
cortejar e conquistar suas próprias rainhas.

Beijo,

Lêida Gomes

Ariadne disse...

Linda!

Márcia disse...

Luiz,

Fui até o blog ver a crônica da semana e só então li a poesia "ao céu de tardes e estrelas".

Achei interessante a discussão...haverá uma pessoa que o inspira? Será algo escrito para atender uma demanda interna, e então não se destina a uma pessoa específica? Mistério...

Continue nos instigando com a sua sensualidade à flor da pele, amigo...

Um abraço carinhoso,
Márcia.


--------------------------------------------------------------------------------

Anônimo disse...

Querido Poeta,

Sua poesia, (seja ela qual for), tem qualquer coisa que se encaixa na gente. Tem isso, tambem, de levar ao passado, de deixar um gosto de saudade, de noh no peito. Sua poesia fala do desejo, "beijos safados e umidos", de uma forma que a gente nao ousa... E eh completa devocao,totalmente ternura e doce entrega..."Beijo teus pes".

Tatiana Moriarty