Páginas

domingo, outubro 29, 2006

Azul em dia de folga

.


O dia começou quente e o Sol dizia presente. Mas hoje é sábado também para o Sol e, preguiçoso, recolheu-se a uma rede estendida entre duas constelações; mandou uma nuvem, imensa e no cio, vestir o céu para dar feriado também ao azul.


Benevolente, o Sol. Obediente, a nuvem. Aquele azul, pós-aurora, sumiu. O dia prometia mormaço e um clima insípido de aço e areia se prometia. Ao meio-dia, caiu a garoa, tênue e leve como um sereno, em pouco, virou chuvisco de molhar terra arada para virar lavoura e, sem delongas, voltou a ser garoa.

Parece triste, este sábado sem sol ostensivo. Feijoada, caipirinha − mais tarde, quem sabe, a indispensável, mas sempre pensável, cervejinha de sorrir para a tarde. A chuva chega decidida, diz que fica, quer encher os rios, completar os lagos, irrigar a terra e assustar pessoas moradoras de margens e riscos. Meus olhos, nas altitudes deste planalto, distantes do mar, marejam. Feito a nuvem que derrama luxúria, volúpia da natureza excitada pelo ar seco, pela terra árida, geografia agreste.

Saudade do azul, porque o céu é alvacento. Saudade do azul do mar e dos lagos, quando em paz, já que a chuva turva as torrentes, enlameia os rios, empalidece os lagos. Saudade de azul em uniforme escolar antigo, azul de bem-aventurados que juntam luz amarela de sol para criar o verde.

Saudade de azul, porque hoje não há céu.

Valeria agora um azul de luz fria nos olhos cálidos de alguma Maria.

4 comentários:

Márcia disse...

Inspiradíssimo, Luiz! É a prosa mais poética q eu já li...

Q forma linda de brincar com as palavras e falar de um dia sem sol, sem o nosso azul clarinho...

Carinho,
Márcia

Marluci Costa disse...

Delícia de crônica, Luiz !
Gosto muito quando você mistura elementos da natureza: sol, nuvem, céu, chuva ... Você tem um jeito especial de tratá-los e nos mostrar a interação natural entre eles. É como eles tivessem vida própria.
Gostei da passeada que a chuva deu nessa narrativa, através de suas variações: foi, voltou, ficou... Lindo, lindo !
Beijo no coração
Marluci

martha nascimento disse...

Luiz , meu sempre querido e muito saudoso Luiz,
o que posso dizer sobre voce? se eu fosse um poeta , com certeza saberia me expressar sobre todas as emocoes que tranbordam de seus poemas !!!

Pois que e um belissimo poema..feito por quem tem sensibilidade a flor da pele .Voce eh emocao, e traz emocao pra gente tambem .Trabalha as palavras de forma bastante criativa,e cada dia esta melhor e mais envolvente.
milhoes de beijos ..

Anônimo disse...

Sempre que estou lendo um texto escrito por voce, consigo fazer uma viagem dentro de mim.
E mais consigo enxergar o azul deste dia através dos seus olhos.

Um cheiro

Aurea