Páginas

quarta-feira, novembro 08, 2006

Lembranças de porto

.


Beijo morno molhado, com marcas de mel
e pimenta: ambrosia e veneno
de nascer paixão.

Pele jambo; e terna, feito olho d’água
das Caldas, berço e infância
de dor e saudade.

Viajo teus olhos (cerrado na seca); penso
céu de planalto, extenso e fundo,
convite ao novo beijo:
fecho os olhos.

Na mente, um horizonte ativo, mutável.
Estrada, ao fim, feito o mundo
e princípio de amor
para a vida toda.


L.deA. − transição para a tarde, 08/11/06

12 comentários:

Jade disse...

Muito bom, Luiz. Gostei.
Parabéns,
Jade

Lu Colossi disse...

Luiz,
Suas poesias são lindas e(ternas),
para se ler e viajar...
O meu beijo,
Lu

Ritelisa disse...

Aposto que isso é saudades de Caldas Novas.

L I L I - RJ disse...

MEU AMIGO POETA!

Como sempre suas poesias são de uma leveza incrível!
Me sinto flutuando ao le-las!
Ao mesmo tempo tão reais!
Amei as quatro últimas que li!
Meu carinho e muitos beijos!

TER UM AMIGO POETA É TUDO DE BOM!

Leila M.Gonçalves disse...

Meu amigo Luiz,e ainda perguntam porque és meu Poeta preferido! Este sentimento traduzido:apaixona...enfeitiça e,faz sonhar.
Amei!
Beijos

primavera disse...

Lindo!

primavera disse...

Aportar, sem pensar, no teu porto.
Mar de seda,carinho,
abraço, conforto.

Anônimo disse...

Caro poeta Luiz de Aquino,
suas poesias são mesmo de povocar
ondas de calor-excitado de "monte",
são leves...no entanto, seus versos
nos convida a um caminho de uma levitação e êxtase...
Continuando a leitura, somos outra vez convidadas e "obrigadas," para uma apimentada viagem de olhos nos olhos (cerrada na seca);pensamos...
paradas para devaneios...fechamos
os olhos...e viajamos...suaves...na
doçura do mel,no bom e "picante" ardor da pimenta, seguindo, com o gostoso gôsto, da cremosidade da
ambrosia.
Viajamos com o tempêro de beijos de salívas doces,aínda húmidas.
No devaneio de palavras somos convocadas a mudar de rumos, pagaremos outro caminho, seguiremos para uma "gruta",que mesmo húmida e meio quente, não é tão rasa,nem muito profunda, todavia,pode ela conter, "veneno da paixão", princípio ou fim do
mundo, mas essa viagem é de sonho
e saudades,portanto, podemos nela
levar o "verbo"para a criação de um
amor novo,ou o princípio de um novo e eterno amor.


Caro poeta Luiz de Aquino,
fico deveras encantada com sua capacidade e talento para falar de sexualidade e sensualidade, me encanta também sua habilidade no uso das palavra para erotizar o clima, a natureza e coisa pessoais
passadas ou presentes, sem incorrer
na vulgaridade.

Parabéns caro poeta!! Sua poesia é de uma beleza ímpar.

Ana Carvalho Guerreiro

Luiz de Aquino disse...

REcebi de Heliane, por e-mail:

"Meu Deus! Que belo!"

Beatriz Tavares disse...

Lindo lindo lindo! Do princípio ao fim.

Maris Stella disse...

Luiz
Uma viagem a um saudoso passado que traz à lembrança um doce amor de juventude que ensejava uma união duradoura e com os mesmos encantos ao longo da vida.
Por outro lado,um desejo de busca incessante de encantos em seu viver, que só largos horizontes podem oferecer.
E muita sensualidade...Parabéns!
Grande beijo!

Marluci Costa disse...

Quanta coisa revelada em um olhar. Que poder é esse, poeta, de nos trazer uma história imensa em poucos versos? Passado, presente e futuro se fundem.
Não sou crítica de poemas. Revelo o que me transmitem e onde me levam. E em seus poemas, Luiz, as imagens aparecem imediatamente na frente dos meus olhos, mesmo quando os fecho, para depois voltar a lê-los.