Páginas

quinta-feira, novembro 23, 2006

Mel

.

Primavera que gera
tempo de novo ar.
Voam asas, festival.

Ah, bela que é
a abelha: colhe e se guia
no cheiro e à cor da flor.

Fá-lo em prenúncio
de mel e cio,

sem ardil nem pudor.

Olha-me de céu e me cerca,
ameaça e zumbe.
– Beija-me, bela de mel!

6 comentários:

primavera disse...

Boniiiiiito!

Márcia disse...

Linda, linda...

Bia disse...

Maravilhoso como sempre!!!!!!!!!
De pessoas abençoadas como você só podem vir presentes como este.
Sabe, abelha é meu bichinho de estimação. Amei.......

Anônimo disse...

Gostei muito, Luiz.
Você continua maravilhoso poeta.

Neilton Gomes Carneiro

Anônimo disse...

Fá-lo...?

Falo. Fálo sim poeta.
Mel e fá-lo é uma bela
composição quimíca.

Maravilhoso!!!A natureza
mais uma vez sendo por você
sensualizada, você é ótimo
poeta!
Parabéns,
beijo e um bom final de
semana para você.

Ana Guerreiro Carvalho.

Maris Stella disse...

Luiz, demais...
Mulher e abelha - feliz comparação.
Aquela busca incessantemente a doçura do amor e esta,na natureza, extrai o mel de flor em flor.
Aroma, sabor, luz, cor - sensações sugestivas, enriquecedoras.
"Fá-lo em prenúncio de mel e cio"- uma ambiguidade inteligente, sutil, criativa.
Belo,belo,belo,belo...
Beijos,
Maris.