Páginas

terça-feira, dezembro 05, 2006

Dueto: Chris Herrmann e eu

DUSSELDORF

O espelho diz-me sorridente
Da poesia doce e veemente
Que tu trazes no peito
Refletindo-o direito
Tua face contente
Sob o céu quente
Saudade mente
Dor mente
Do seu
Dorf
Dor
D+
+

Chris Herrmann
..

ALÉM DO ESPELHO

Li além do espelho; não me iludiu

o reflexo, o reverso: e o poema
escrito no peito, era feio,
era torto e imperfeito.
Era eu o poema, era
meu o peito e era
eu quem mentia
e escondia
aonde ia
a luz,
o dia.

Luiz de Aquino

4 comentários:

Bia disse...

Oi meu poeta nº 1, como sempre trazendo lindas palavras para adoçar meu coração
Só vç consegue fazer isso conosco
Maravilha
Beijocas no coração

Rosi do Rio disse...

Puxa Luiz!

Até em sua resposta à crítica, você esculacha! (ou seria escolacha... ou ainda isculacha)
hahaha.
Venho aqui sempre para beber
da fonte literária.
Você é 10!
Um abraço,
Rosimar - Rosi do Rio :-)

Anônimo disse...

Passei pelo espelho;me prendi
sem entender o porque ao
"reflexo," nele ví você,
tinha grafado no peito
um poema.Não, não era
feio, era lindo, de
amor e dor, dores.
Perfeito ou não,
era um poema
era de amor,
de dor,
era...
você.
Mentia,
escondia?
Não percebia.
Na luz do dia?
Só via poesia, amor,
dor, amor e fantasia,
ilusão, amor fugindo,
dor surgindo,mas era amor,
e eram lindos.Poesia, amor,
dor,
você,
lindos,
surgindo,
fugindo,
sumindo você e o amor...
me iludi com o amor...
Ficou só a dor? Não,
dor de amor não é dormente.

Parabéns poeta Luiz de Aquino!
Você está sempre nos presenteando
com seus perfeitos e belos escritos.

Beijo,
Ana Guerreiro Carvalho.

MadalenaBarranco disse...

Nossa Luiz, que caligramas geométricos bonitos! O espelho explora um tema que faz os poetas reflexionarem muito a respeito - o verso e o reverso... Abraços, Madalena