Páginas

sábado, junho 02, 2007

Ir-e-vir, flores e cidadania


Ir-e-vir, flores e cidadania


O que é um cidadão? São tantos os conceitos! O primeiro sugere-nos “indivíduo que vive em cidade”. Muito primário. Na tevê, vemos campanha institucional dando conta de que se é cidadão desde que se obtém a certidão de nascimento. Há quem entenda que cidadão é quem paga impostos (no Brasil, somos cidadãos além da medida). Mas a palavra em moda não é propriamente “cidadão” e, sim, “cidadania”.

Ao cidadão, concedem-se todos os direitos estabelecidos na Constituição. E cobram-se os deveres ali definidos, também. Direito à saúde, à educação, à segurança... À vida, enfim. O mais corriqueiro deles, parece-me, é o direito de ir-e-vir (o primeiro a ser cortado quando se instituem cerceamentos à liberdade).

Qualquer empecilho ao trânsito afigura-se, para qualquer um de nós, como agressão à liberdade de se deslocar. Sejam ruas interditadas, calçadas em obras, árvores caídas ou congestionamentos no trânsito. Há que se ver (já que está na moda, como cenário da novela global das oito) os abusos cometidos em Copacabana. Sob o pretexto da segurança dos moradores, centenas de edifícios invadem as calçadas (que já são muito estreitas para o volume de tráfego de pedestres); e uma análise leiga já nos mostra que aqueles gradis são totalmente inúteis, além de prejudicar a paisagem. Estranhamente, a Prefeitura do Rio faz vista-grossa (aliás, parece que a única coisa que César Maia não quer obstruindo as calçadas são os mendigos; para isso, ele manda jogar creolina nos passeios).

Minhas idas ao Rio são rápidas: o bastante para visitar parentes, rever amigos e colegas de colégio e sorver, com prazer indescritível, o chope carioca. Desta vez, pude desfrutar de Edir Meireles, Stella Leonardos, Antônio Olinto e Beth Almeida. E aí, volto a Goiânia, à realidade das árvores derrubadas a bel-prazer de comerciantes sem compromisso com a cidade e a cidadania (querem suas fachadas à vista de todo mundo) e a triste realidade que enviou as petúnias para a nossa saudade. Prefeito Íris, mande replantá-las, em nome da beleza da cidade!

O que mais nos incomoda? O desrespeito de inúmeros motoristas de automóveis e até de veículos de trabalho para com o xadrez nos cruzamentos. Há poucos dias, num cruzamento do Setor Oeste, um caminhão obstruiu o xadrez; uma jovem, conduzindo um carro pequeno, conseguiu uma brecha para cruzar a rua; além do caminhão, uma moto desceu sem se dar conta e foi atropelada pela moça (no caso, caminhoneiro e motociclista não levaram em conta o xadrez, que deve ser deixado livre). Lembro a campanha que se fez em Goiânia sobre a faixa de pedestres. Falta ação igual para o xadrez, e nisso é bom que se envolvam a SMT do coronel Sanches e o Detran do meu amigo Bráulio, com extensão às demais prefeituras de todo o Estado.

E assim, pouco a pouco, vamos estendendo ainda mais o conceito de cidadania, identificando-o com o indispensável respeito de um para com a coletividade e vice-versa. Acredito que a prática integral da cidadania implica justamente o respeito a esses procedimentos, restabelecendo a dignidade do homem comum (digo outra vez: “homem”, aqui, é o genérico da espécie).

E, paralelamente, que se restabeleça a beleza dos logradouros públicos, além de se espalharem flores e jardins, iluminação e respeito a todos os pontos desta Goiânia septuagenária e adolescente. Assim, Senhor Prefeito e demais governantes, restabelecemos o respeito aos direitos fundamentais, pouco a pouco. Especialmente ao direito de ir e vir.

Quanto ao direito ao livre pensar, ainda não se conseguiu impedi-lo. Graças!

7 comentários:

Lenita Naves disse...

Luiz ,amigo..

Eu tb tenho saudades das petúnias..
Goiânia ficava linda com elas...
Uma pena que tenham sumido e sido substituídas por folhagens sem graça nem cor...
Sobre o trânsito endosso 100% o que vc disse. Falta educação para o trânsito.

Abração para vc.
Lenita Naves

Deolinda disse...

Meu caro, Goiânia, a linda e bela já era!Envelheceu e longe de torna-se melhor com o tempo, se deteriora, nos abusos dos moradores e nos governos que prometem asfaltar até o patio da casinha do cachorro. E vai piorar, sem transporte coletivo decente, com muitos lotes para serem negociados no período eleitoral que se aproxima.
Pois é ... Coitada, sem flores, sem educação e sem raizes.

Mara Narciso disse...

Todos os assuntos citados são importantes e foram bem colocados, especialmente sobre o corte de árvores, pois elas são sacrificadas sem que se mude a cara, em prol do bem estar de uns poucos. Notei o não comentário sobre os motoristas que jogam lixo pelas janelas. Esse mal sempre me dói na alma. Quando a classe mais abastada age assim, o que podemos esperar dos demais?
Mara Narciso

Anônimo disse...

LUIZ, ADOREI SEU ARTIGO, TUDO QUE VOCÊ ABORDOU SÃO COISAS QUE REALMENTE TÊM TIRADO NOSSA PAZ, SOSSEGO ,PACIÊNCIA E NOS DEIXANDO A CADA DIA MAIS INDGNADOS POR TANTOS DESCALABROS, OMISSÕES E ATÉ COMPACTUADOS POR PARTE DOS PODERES CONTITUÍDOS E TAMBÉM DA INICIATIVA "PRIVADA". GOIÂNIA ESTÁ REALMENTE FEIA, E ISSO NOS DEIXA TRISTES, MAS ELA AÍNDA VOLTARÁ A SER BELAAAAAA POIS OS GOIANIENSES A AMAM E AS COLORIDAS E LINDAS PETÚNIAS VOLTARÃO PARA QUE NOSSAS VISTAS POSSAM MIRAR UMA VERDADEIRA AQUERELA E NOSSAS ALMAS VOLTEM A SORRIR.
TAMBÉM ENDOSSO TUDO O QUE POR VOCÊ FOI ABORDADO, PORÉM, VOU DISCORDAR DE DEOLINDA TAVEIRA QUANDO DIZ QUE GOIÂNIA NÃO TEM RAÍZES, ELA TEM SIM, SÓ ESTÃO MAL CUIDADAS E MEIO QUE ADORMECIDAS, E PROVA MAIOR DE QUE ISTO É VERDADE AÍ ESTÃO: VOCÊ, DEOLINDA E MUITOS OUTROS MAIS, "BRIGANDO", "GRITANDO" E COBRANDO DAS AUTORIDADES CONSTITUÍDAS E DOS CIDADÃOS UMA TOMADA DE CONSCIÊNCIA PARA PRESERVAREM NOSSAS RAÍZES.ME PERMITA DISCORDAR TAMBÉM DE MARA NARCISO QUANDO ELA DISSE:" Notei o não comentário sobre os motoristas que jogam lixo pelas janelas. Esse mal sempre me dói na alma. Quando a classe mais abastada age assim, o que podemos esperar dos demais"?
POETA, É CERTO QUE TODAS AS CLASSES
SOCIAIS E AS ORGANIZADAS TÊM SUJADO MUITO E DE TODAS AS FORMAS O NOSSO QUERIDO PAÍS, MAS É PÚBLICO E NOTÓRIO QUE AS CLASSES MAIS ABASTADAS É QUEM MAIS SUJAM E DE FORMA ACINTOSA,VERGONHOSA COVARDE TÊM ESPARRAMADO TODO TIPO DE MER...EM NOSSA DIGNIDADE,CIDADANIA E O PAÍS COM TANTAS "CACAS" FÉTIDAS ESTÁ FICANDO INTOLERÁVEL PARA TODOS CIDADÃOS HONESTOS E TRABALHADORES.
PARABÉNS E
BEIJÃO PROCÊ POETA MENINO!!!
ANA GUERREIRO CARVALHO.

Luiz de Aquino disse...

Ana,
Se me permite, estamos todos nós - Lenita, Deolinda e Mara Narciso, além de você e de mim - falando a mesma "língua", mas usando outras palavras ou olhando por ângulos ligeiramente diferentes: todos amamos tudo isso que se constitui na nossa cidadania e no nosso bem-estar como moradores...

Escreva-me para o e-mail poetaluizdeaquino@gmail.com. Gostarei de falar com você.

Luiz

Nalu Barros disse...

MEU AMIGO,
VC NUNCA FALA BOBAGEM...
O TEXTO E COMENTÁRIOS ESTÃO MARAVILHOSOS!!!!
VC COMO SEMPRE NOS PRESENTEANDO COM SUAS LINDAS CRÔNICAS!
BJUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

NALU BARROS

Deolinda disse...

Poeta,
Um palpite, escreve mais sobre o assunto "cidadania", o povo goiano irá agradecer. Quer dizer irá se conhecer!
Goiânia merece mais de seu povo do que se tornar a meca dos pastores protestantes e dos votos dos sem tetos, sem moradia, sem terra.
Goiânia precisa sair da contradição entre sua vocação para modernidade e a vocação da maioria dos políticos goianos e gestores públicos para o coronelismo do século 19.
Conseguirá? Não sei, mas precisamos ajudar! Dai escrever sobre cidadania é um bom caminho.