Páginas

sexta-feira, agosto 14, 2009

“Meu nome é Mulher” tem autora, sim!

Fátima Aparecida Santos de Sousa, policial militar e poetisa

“Meu nome é Mulher” tem autora, sim!


Luiz de Aquino


O título é simples, mas decidido, decisivo e definitivo: “Meu nome é mulher”. Circula pela internet há tempos, e quase sempre (diria que, na quase totalidade das vezes), é citado como de “autoria desconhecida”. Assim me chegou na primeira vez, e não gastei mais que um ou dois minutos para localizar o nome da poetisa, uma policial militar paulista: Fátima Aparecida Santos de Sousa.

Por que conto isso? Porque incomoda-me isso de se divulgar textos sem citar a autoria. As emissoras de rádio, há algumas décadas, começaram a ignorar os autores de músicas, permitindo que o público acreditasse que o cantor era dono e senhor das melodias e letras. O descaramento foi tamanho que alguns cantores passaram a acreditar que eram, sim, autores, e alguns foram punidos pela Justiça a ressarcir os verdadeiros autores.

É que, especialmente no meio musical, houve um tempo em que era normal o autor vender direitos autorais a cantores famosos. A literatura dá conta disso muito bem: a biografia de Noel Rosa por Paulo Didier e João Dias deixa claro que o Poeta da Vila é o verdadeiro criador de Cidade Maravilhosa, mas vendeu a música a André Gustavo (esse é apenas um fato, entre centenas ou milhares). E tenho conhecimento de inúmeros autores, daqui mesmo da terrinha, que assinaram obras literárias criadas por outros. Consta que, em terras de Minas, alguém que assinava obras de um irmão tornou-se famoso sem jamais ter escrito os livros que levam seu nome. E de Goiás, dou-me conta de pelo menos duas autoras que publicaram obras escritas por terceiros; uma delas sequer se dá ao trabalho de transcrever as histórias para o seu estilo (que, acho eu, não é lá grande coisa).



Volto a “Meu nome é Mulher” e transcrevo o poema inteiro:

“No princípio eu era Eva / Nascida para a felicidade de Adão / E meu paraíso tornou-se trevas / Porque ousei libertação!

Mais tarde fui Maria / Meu pecado remiria / Dando à luz Aquele / Que traria a salvação! / Mas isso não bastaria / Para eu encontrar perdão!

Passei a ser Amélia / “A mulher de verdade” / Para a sociedade!

Não tinha a menor vaidade / Mas sonhava com igualdade!

Muito tempo depois decidi: / “Não dá mais! / Quero minha dignidade, / Tenho meus ideais!” / Mas o preconceito atroz / Meus 129 nomes queimou

Então o mundo acordou / Diante da chama lilás!

Hoje não sou só esposa ou filha; / Sou pai, mãe, arrimo de família; / Sou ourives, taxista, piloto de avião, / Policial feminina, operária em construção! / Ao mundo peço licença / Para atuar onde quiser! / Meu sobrenome é Competência / O meu nome é Mulher!”.

A poetisa, portanto, é (Pérola Neggra, com G dobrado) Fátima Aparecida Santos de Sousa, policial militar em Mauá, SP, e registra seus textos na Biblioteca Nacional. Portanto, que se interrompa a “corrente” que dá o poema como de autora desconhecida. O e-mail da autora é fatimaperolaneggra@hotmail.com e seu telefone, (011) 9409-0630.

Como se vê, a moça existe, é talentosa, competente e bonita.



Luiz de Aquino é escritor e jornalista, membro da Academia Goiana de Letras.

10 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia poeta!Parabéns, a moça é linda e talentosa, vc é um poeta fantástico! Ireci Maria

Fátima disse...

Luiz, estou sem palavras de tanto contentamento!!!! Obrigada, amigo poeta!!!!

Apenas corrija meu email: fatimaperolaneggra@hotmail.com

Aquele do yahoo está desativado.

Beijo da Pérola

Saramar disse...

Luiz, muito importante este esclarecimento, principalmente nestes tempos em que o plágio puro e simples espalhou-se pela rede, como uma praga.
Conhecer a poeta e o poema foi um prazer aumentado pelos seus esclarecimentos.
Ainda bem que ela não foi vítima de plágio.

beijos

Mara Narciso disse...

O hábito do "ghost write" é um comércio que já não escandaliza tanto. O livro pode ser um produto em que se vende a autoria. Há os que sentem pruridos incômodos diante das vendas de dissertação e tese pelo Brasil afora. Outros não se incomodam com isso. A ética a cada dia tem seus limites mais ampliados, mas sempre haverá gente para achar tudo isso absurdo. Dar ao autor as glórias da autoria, com o justo reconhecimento foi um gesto admirável Luiz. Ter essa curiosidade é uma característica sua que nunca aprovou e raramente repassou textos sem dono. Fez bem em desfazer essa injustiça.

Irinéa Maria disse...

Ah! que saudade desse blog!
Esse tema me fascina, pois penso exatamente como vc. Por Ser compositora, percebo que meus letristas são sempre esquecidos e as musicas passam a minhas com uma facilidade irritante!
Às vezes preciso enviar mensagens, telefonar, para que retifiquem.
Mas...estamos aqui por causa dessa linda poesia!
Então, conhecemos essa pérola de poeta através de uma pesquisa sua, e só tenho a agradecer sua boa vontade em descobri-la pra nós!
beijo poeta

sol pereira disse...

Que legal Aquino! Já conhecia este texto, mas não sabia da autoria, fico contente que tenha encontrado a dona que é uma linda mulher e faz jus ao tema. Beijos e uma ótima semana. Sol

Ah! visite-me ficarei feliz!

Leidagomes disse...

Luiz,que maravilha... sua curiosidade e irreverência saudáveis acabaram por nos brindar com uma pérola de poesia...dando-nos também a grata satisfação de tomarmos conhecimento de uma talentosa e belíssima mulher escrevedora.

Parabéns Luiz de Aquino!!!

Parabéns poetisa Pérola Neggra!!!


Boa semana!!!
Beijo,

Leida Gomes

célia musilli disse...

Belo trabalho de utilidade aos..autores..rs Um beijo!!

Luiz de Aquino disse...

COMENTÁRIOS NO BLOG "DISCUTINDO LITERATURA CRÔNICA"

2 comentários:

Ivanaldo Xavier disse...
Parabéns Luiz de Aquino, resgatar a autoria de uma obra desse porte é o mínimo que se pode fazer para devolver a pérola a verdadeira dona, que diga-se de verdade, também é uma pérola, não apenas pela beleza, mas pela competência.

15 de Agosto de 2009 05:28
marcia disse...
Parabens...belo texto e bela autora!
boa semana
abçs

16 de Agosto de 2009 19:29

Kamila Marquez Ramos disse...

sou uma aluna da escola municipal Alice coutinho,sabe que eu adorei sua poesia{permutua}
não sei se é por que eu te admiro,ou se é por que você realmente escreve muito bem!!!!
mas com toda certeza deve ser as duas cousas!
mas amanhã com certeza será um dia único e inesquecivel!
gosto e leio todas sua poesias e crônicas!
parabéns!