Páginas

quarta-feira, junho 03, 2009

Jornal SESC Brasil


Entrevista ao jornal SESCBrasil
(edição nº 69, maio de 2009. Distribuição nacional)


Ele nasceu em Caldas Novas (G), em 1945. Com a mãe, tomou gosto pela leitura. No Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, começou a escrever. É professor por formação - fez pós-graduação em Docência do Ensino Superior na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) -, jornalista e escritor e cronista do Diário da Manhã, de Goiânia. Gosta da poesia moderna, por sua cadência e liberdade da música popular brasileira e de conversar sobre literatura e coisas do quotidiano. Autor de 15 livros, Luiz de Aquino Alves Neto é membro efetivo da Academia Goiana de Letras (cadeira nº 10).




1 - Como foi seu primeiro contato com o SESC? 


Ah, não tenho memória exata do primeiro contato... Foi na infância, certamente. Lembro-me que antes de descobrir as piscinas já fazia uso das bibliotecas.

2 - Quais os benefícios que o SESC traz para o estado de Goiás? 


São muitos. O SESC dignifica a atividade comerciária, proporciona a inserção social do comerciário e de sua família, realça a importância dessa que é uma das mais antigas e nobres ações humanas, razão de aproximação entre os povos, de permuta e comunhão de costumes, de intercâmbio cultural... Enfim, é o comércio uma das mais expressivas formas de relações humanas, além de assegurar o provento e a sobrevivência dos seres. No Brasil todo, o SESC é o instrumento de normalização e integração classista e, sabiamente, exerce essas funções valendo-se do equilíbrio cultural variado de nosso povo.

3 - Dentre as realizações no estado o que você destacaria como sendo mais importante? 


Não vejo atividade de menor importância. Talvez eu analise pelo meu lado intelectual, como escritor e professor (por formação acadêmica), mas entendo como altamente valiosas as atividades de formação e aperfeiçoamento profissional, a de ensino formal em todos os níveis (orgulha-me o fato de ter um filho e um neto como alunos do Centro Educacional SESC Cidadania) e as ações na esfera cultural. Envaidece-me o fato de ter obras minhas nas bibliotecas do SESC em Goiás.

4 - Qual a colaboração do SESC para a Cultura do Estado? 


Em Goiás, o SESC detém o maior e mais importante conjunto de obras de escritores goianos. Nenhuma biblioteca, pública ou particular, equipara-se, neste particular, com o que existe na “Estante do Escritor Goiano”. A instituição sempre esteve aberta aos autores locais, a validar sua vocação cidadã e demonstrar que Goiás dispõe de valores intelectuais próprios. É surpreendente o número de usuários das bibliotecas SESC em todo o Estado (em Goiânia, não tenho dúvida ao afirmar que a Biblioteca Central, na Rua 19, é líder de consultas). O auditório do SESC Cidadania, no Jardim América, desenvolve um valoroso programa com músicos da terra, há espaço para atividades de artes plásticas e de outras práticas... Enfim, o SESC, em Goiás, está integrado irreversivelmente às atividades culturais.

5- E na área da Educação? 


Pois é, já citei o SESC Cidadania, colégio que, em menos de uma década, já se alinha entre os expoentes do complexo de Educação no Estado. Como pai de aluno, sinto-me plenamente à vontade para analisá-lo, pois nenhuma questão levada à escola, seja pessoalmente ou nas reuniões de pais e mestres, é menosprezada. E sou testemunha do apreço que os alunos têm para com o colégio.

6 - Conte algum envolvendo o SESC que tenha destaque em sua trajetória.

Quando o escritor José J. Veiga, goiano de Corumbá de Goiás, faleceu (19 de setembro de 1999), fiquei incumbido, por vontade dele, manifestada à esposa, Dona Clérida, de receber, preservar e zelar pelos seus livros, móveis e objetos que ele próprio entendia como sendo de seu acervo literário. “O José me recomendou entregar a você as coisas dele para ficarem em Goiás”, disse-me ela; compreendi que o meu velho amigo (e ídolo) cuidava de não ser esquecido, especialmente por sua gente.

O governador Marconi Perillo dispôs-se a apoiar meus esforços, mas não tive a mesma resposta da parte de seus auxiliares nas áreas de Cultura, Educação e obras. Confesso que receei não dar conta da missão que ele, antes de morrer, me confiou. Num dado momento, tomei uma decisão acertada: procurei o presidente da Fecomércio, José Evaristo dos Santos, e o diretor Regional do SESC, Giuglio Settimi Cysneiros. Em poucos minutos (não exagero: foram poucos minutos entre eu dizer o que tinha e ouvir deles que já tínhamos um pacto), senti-me confortado: José J. Veiga teria seu espaço de honra no SESC de Goiás.

No dia 5 de setembro de 2007, duas semanas antes do oitavo aniversário de morte de José Veiga, inauguramos, na Biblioteca Central (Rua 19, Goiânia), o Espaço José J. Veiga. Como convidados especiais, recebemos o escritor Antônio Olinto (membro da Academia Brasileira de Letras e primeiro crítico do contista goiano), e a biblitecária mineira Dênia Diniz de Freitas, que catalogou os bens de Veiga que constituem seu acervo literário e estão em exposição no SESC.

9 comentários:

Ednea Barbosa de Sousa disse...

Boa tarde Luiz,

Com certeza voce já recebeu muitos, mas não poderia deixar de dar meus parabéns pela sua entrevista no jornal do SESC, que foi tocante, um relato que fortalece a função social da biblioteca, de forma especial.

Abraços,

Ednea Barbosa de Sousa
Coordenadora de Cultura

Luiz de Aquino disse...

Ednea,

Eu diria que ganhei a chance desse destaque por bondade do SESC/Goiás, tanto pelo carinho de seu diretor Regional quanto pelo mesmo sentimento dos sesquianos da nossa terra, dentre os quais você é pessoa de realce.

Aproveito para registrar o seu papel como ativista cultural do SESC Goiás. Parabéns!!
Muito obrigado, de coração!

Luiz

Lucia Lazaro disse...

0i, Luiz:
Todos nós somos "narciso". Li tudo. Aliás, agora sei muito mais de você. Vida digna,honesta.
Parabéns, querido.

Nane Lemos disse...

Olá, tudo bem?
Li a entrevista e fiquei feliz por saber mais de você. Te admiro sempre. Beijos e até...

Ivan Marinho de Souza disse...

Sou novo no seu blog, mas queria lhe parabenizar pela entrevista. Abraços.

http://eriolmala.blog.uol.com.br/

Simone disse...

Parabéns Luiz, gostei de saber que se afirma um 'narciso',e com toda a razão.É bom ter um amigo(embora longe) com grande brio,culto,etc.,etc.,e ainda por cima,que hoje é raro,ser simples e simpático.Gostei da entrevista,que só veio confirmar o que penso.

Um grande abraço,

Simone Araújo

Madalena Barranco disse...

Olá Luiz,

Parabéns pela entrevista. O título é acertado e seu conteúdo valoriza aqueles que trabalham a favor da cultura, assim como o SESC. Aqui em SP, o SESC sempre teve um papel importante em minha vida e na de muitas pessoas.

J.Veiga de onde estiver, pode dizer que a amizade e carinho entre vocês se eterniza pelas belas letras.

Beijos - mais parabéns!!

sylvinhoqueiroz.brothers disse...

meu nobre poeta,
Algumas das últimas postagens sem a minha leitura,em virtude de compromissos,inclusive apresentação do XI-Fica,com a cantora Marcia Jácomo e músicos da categoria de Emidio Queiroz(violão e viola) e André Mendonça(percusssão), hoje, graças a Deus e felizmente,alimento-me, mais uma vez,desta vasta cultura.
Parabens meu "brother"novamente e conte conosco
sempre...
abraços e beijos musikkais... queirozísticos... quânticos...
sylvinhoqueiroz

LUIZ POETA disse...

Meu amado irmão Luiz de Aquino...

Gostaria muito que me enviasse o seu e-mail para que pudesse remeter para você uma homeagem que meus alunos da sua eterna escola Municipal Evangelina Duarte Batista fizeram para você.
O meu está ao seu dispor.
Fique com Deus, meu irmão.
Luiz Poeta - marechal Hermes - Rio de Janeiro - Brasil